Análise de Crédito: entendendo a cabeça dos financiadores

Como funciona a análise de crédito

Você já deve ter feito um empréstimo antes, mas sabe como os financiadores analisam a sua capacidade de pagamento? Vamos entender melhor quais critérios são utilizados para análise crédito.

Financiadores são agentes econômicos superavitários. Isso significa que possuem dinheiro “sobrando”, o que reforça a necessidade de sua principal decisão dizer respeito a como alocar estes recursos. Dentre uma série de opções disponíveis no mercado financeiro, uma delas é o mercado de crédito, em que a instituição financeira empresta dinheiro para pessoas ou empresas que precisam de mais dinheiro para atingir seus objetivos. 

Para que um financiador possa emprestar o dinheiro dele para a sua empresa, a maior preocupação dele será em avaliar o seu risco de crédito, ou em termos mais simples, avaliar se o seu negócio tem condições de pagar as parcelas contratadas, pontualmente.

Como funciona

Cada financiador tem os seus critérios próprios para te avaliar, mas suas metodologias normalmente possuem diversas etapas em comum, notadamente:

– Cadastro: para começar qualquer operação de crédito é necessário fazer um cadastro na instituição financeira. Isso serve serve para entender as características da sua empresa e os principais desafios. Por exemplo; o seu histórico de funcionamento e de pagamentos, qual o seu modelo de negócios e quem são tomadores de decisão. Nessa etapa é importante verificar que quem está contratando a dívida em nome da sua empresa possui de fato poderes para fazê-lo.

– Apontamentos e Restrições: por meio de consultas públicas à órgãos de proteção ao crédito (SPC, Serasa e Bacen, por exemplo), o financiador busca entender se sua empresa possui obrigações não quitadas junto a outros bancos, fornecedores, órgãos governamentais ou demais credores. Um volume muito alto de restrições prejudica o resultado de sua análise de crédito.

– Garantias: é comum que sejam solicitadas garantias para assegurar que, em caso de inadimplência, o banco poderá recorrer a um patrimônio adicional para ter o seu dinheiro de volta. Podem ser garantias reais (como recebíveis ou imóveis) ou fidejussórias (fiança ou aval,). Cada tipo de garantia possui um rito de análise próprio, mas de maneira geral, o que o financiador procura avaliar é a liquidez (quão rápido podem ser convertidas em dinheiro), o respaldo patrimonial (quanto é possível reaver em relação ao  valor emprestado) e a segurança jurídica (quão rápido a garantia pode ser executada ) de cada colateral.

– Indicadores Financeiros: independente do volume de garantias, a possibilidade de atraso nas parcelas contratadas pode ser suficiente para que um potencial financiador reprove a sua solicitação de empréstimo. Para avaliar se sua empresa terá recursos suficientes para pagar as dívidas, as instituições costumam solicitar informações financeiras   Podem ser demonstrações contábeis ou extratos bancários. Adicionalmente, o nível de endividamento atual da sua empresa também impacta nesta análise, dado que quanto maior o volume de dívidas contratado, maior o comprometido do fluxo de caixa e menor será o volume de recursos disponíveis para pagar a dívida que você está contratando.

Como o banco define o meu risco de crédito?

A prática mais comum para avaliação do risco de inadimplência é o cálculo de um credit score: com base em suas regras de negócio, estratégia de atuação e munido de todas as informações fornecidas por sua empresa, o financiador analisa o risco de crédito e o classifica em uma nota.

De modo geral, o resultado dessa análise define não só se sua operação será aprovada ou reprovada, como também quais as condições de valor, taxa e prazo que sua empresa poderá contratar naquela instituição.

E como eu calculo o meu score?

Por se tratar de uma análise proprietária, as instituições não costumam te informar o resultado do seu score. Contudo, ao entender os parâmetros utilizados na análise de crédito, fica mais fácil entender qual será o resultado da sua solicitação de crédito.

Alguns órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa, disponibilizam ferramentas online para consulta cadastral do seu CNPJ. A partir de um cadastro simples, é possível saber se há restrições ou apontamentos cadastrados por algum credor, e qual o volume. Inclusive, alguns destes bureaus de crédito disponibilizam uma nota para a sua empresa, de acordo com o seu histórico de pagamentos. Adicionalmente, o Banco Central disponibiliza em seu site uma ferramenta para consulta de todas as dívidas contratadas por seu CNPJ.

São algumas dessas ferramentas que utilizamos para realizar as análises de crédito na finpass e auxiliar tanto os financiadores, como também as empresas, a realizarem as operações de crédito com mais segurança, assertividade e de acordo com os perfis mais compatíveis entre as partes.

Entenda mais como funciona cadastrando sua primeira operação na nossa plataforma. Basta clicar aqui e começar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *