A importância do planejamento financeiro na tomada de crédito.

A importância do planejamento financeiro na tomada de crédito

Afirmo, sem medo de errar, que existem dois tipos de empresas quando se trata de relacionamento com o crédito:

1- As que tomam crédito para tapar buraco.

2- E as que usam o crédito como combustível para o crescimento acelerado.

Todos preferem estar na segunda situação. Sem dúvida. Mas como conseguir essa proeza, reservada para uma minoria de empresas?

Não existe outra forma de fazer isso sem passar por um cuidadoso e completo planejamento financeiro empresarial.

Essa ferramenta tem uma infinidade de utilidades e no contexto da tomada de crédito ela se torna ainda mais importante.

Vamos ver como utilizar o Planejamento Financeiro Empresarial para transformar a tomada de crédito numa catapulta do crescimento da sua empresa.

Detalhe a execução do Planejamento Financeiro

Planejamento financeiro não é previsão de futuro, é um plano de execução.

Quanto mais cedo você entender isso, melhor.

Você precisa planejar que recursos vai precisar para a sua empresa no futuro de curto e médio prazo. Além disso, tem que saber quais são os resultados esperados vindos do uso desses recursos.

Não esqueça de envolver todas as lideranças da sua empresa nesse processo.

Identifique as alavancas de crescimento

Quando você entender que tipo de investimento gera qual retorno, você se torna capaz de extrair a essência do seu modelo de negócios, passa a focar no que importa e a eliminar o que não cria valor.

Você precisa gastar mais com o que dá mais retorno e aprender a dizer não para as coisas que não geram resultados.

Crie cenários dentro do processo de Planejamento Financeiro

Depois de identificar o que realmente importa é hora de simular cenários.

Busque onde o limite de entrega da sua operação se encontra com o limite de gastar dinheiro da sua empresa.

Sim! Toda empresa tem um limite na capacidade de gastar.

O papel aceita tudo, mas a realidade não. Escolha um cenário que faça você se sentir desafiado, mas que te motive e você acredite que seja possível. Vá em frente.

Calcule a necessidade de capital

Muito provavelmente sua empresa precisará de capital extra para executar esse plano que você acabou de desenvolver.

Se não precisar de dinheiro, muito provavelmente você está indo devagar demais.

Calcule o valor mais negativo do fluxo de caixa acumulado da empresa, ou seja, quanto ela precisaria de dinheiro até chegar no ponto de equilíbrio depois de aproveitar os benefícios de um crescimento acelerado.

Preveja a entrada desse capital na empresa e inclua o pagamento desse montante utilizando parâmetros médios aqui mesmo do site da Finpass.

Comunique o plano de execução

Apresente o plano final para seus sócios e lideranças da sua empresa. Tire dúvidas, alinhe a estratégia e use o plano para motivar as pessoas.

Se ninguém entender, concordar ou se sentir motivado com o plano, pare!

Volte alguns passos e reveja a estratégia.

Depois desses pontos alinhados, siga em frente. É hora de falar com quem vai te financiar.

Atraia investidores e credores

Com a equipe alinhada, as premissas testadas e a visão de longo prazo construída, é hora do show.

Apresente seu plano de forma confiante. Não deixe perguntas sem respostas.

Faça seu dever de casa buscando as fontes e provas das suas premissas, indicando sua capacidade de execução e entrega, e porque vocês são a empresa certa para capturar essa oportunidade do mercado.

Faça a prestação das contas

Quem tem sócio ou credor, tem chefe.

Já diz o ditado: respeite seus sócios minoritários, lideranças, equipe e credores, alinhando expectativas ao longo do caminho.

Não demore para entregar ou esconda informação. Seja transparente.

E, principalmente, peça ajuda quando as coisas não saírem conforme o planejado ou você não souber o que fazer. Seja para o bem ou para mal.

Aprenda com os próprios erros e corrija o rumo

Só aprende quem define uma meta.

Atingindo-a ou não, busca-se entender o porquê as coisas saíram dos trilhos ou tiveram resultados superiores. Só assim, no ciclo de planejar, acompanhar, analisar e corrigir, que se aprende.

Talvez mais do que isso, só assim é possível registrar os erros, formalizar as relações causa / ação e compartilhar esse aprendizado, fazendo com que toda a empresa evolua junto.

Sem essa formalização do conhecimento não é possível dar saltos mais altos ainda no futuro.

Conclusão

Apenas através de um planejamento financeiro empresarial bem feito que uma empresa poderá maximizar todo o seu potencial de criação de valor e geração de caixa.

A velocidade máxima que uma empresa pode crescer está entre a sua capacidade de produção e a sua competência em aplicar recursos certos da maneira certa. Envolvendo e provocando suas lideranças você conseguirá sincronizar e otimizar as competências do seu time.

Se desafie!

Desafie os limites da sua empresa.

Faça isso olhando para as tendências, para o futuro e para o alto, mas com os pés no chão.

Use dinheiro para crescer e pare de tapar buracos.


Autor: Rodrigo Ventura é o fundador da Escola do Financeiro, onde ajuda profissionais da área financeira a se tornarem protagonistas estratégicos. Foi o primeiro mentor da rede Endeavor-SC. Foi consultor das incubadoras Whapp e MIDI Tecnológico, gerente de negócios da ClicBusiness e diretor de operações da empresa Cata Company, além de ser instrutor do Programa Startup SC do SEBRAE desde 2012 e da aceleradora Darwin Startups desde 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *